30/09/2012



Todos somos um 
                                      marisa pompermaier

dentro de cada vontade
implícito um desejo
de transformar.
somando as ações,
constroem-se bases
de hoje, amanhã
passos que estão por vir.

independe cor,credo perfil
na sociedade.
somos, no momento igualdades,
que se somam direcionando
a um bem maior.

nossa terra, paz, sonhos
nossa atitude que não se neutraliza,
nossa força de avançar.
é preciso ir,
sem  medo de errar.

afinal, onde estaria o sentido
de nos manter oprimidos,  
se a causa maior é viver?
uns com os outros,
diferentes, mas iguais.

todos somos um!

24/09/2012


D e l i c a d e z a

                                                       marisa pompemaier

O tributo que confere à pessoa sua verdadeira alma..Digna e bela, assim como os olhos de quem a vê. Logo, um mar de encantamento.
r  e l ó g i o


                                                             
                                                                                    marisa pompermaier   



..... essas máquinas loucas criadas para administrar o tempo. Ao poeta importa o simples tic-tac que o faz mergulhar em seus devaneios. Os ponteiros, simplesmente referências do  movimento.

14/09/2012


fragmentos



                                                                                     imagem: internet

                                                                marisa pompermaier

o que fazer
se  a alma não mais atinge,
se não há mais um espaço único
que sirva de ponte,
elo ou ambivalência?

como explicar ao coração
partida sangrenta
diluída em fragmentos,
tudo o que sobrou?

como entender
rica mobília criada
entre sonhos e momentos
guardada dentro de mim?

o que fazer
com o mundo inventado,
a música, os pássaros,
as conversas na madrugada?
a ti, poderá ser nada.

argumentar a poesia,
eterna maresia
pincelada na tela,
flores de cactus
risos na janela,
o que fazer, agora?

e o que se criou
na alma?
candura, doce calma.
páginas escritas com amor,
não há quem suporte,
misto de perda e  dor.

um a um,
vou juntando resíduos
para que tenham vida.
inutilmente,
serão, eternamente,
não mais que fragmentos.

08/09/2012

irreversível
imagem: dreamstime

                                      marisa pompermaier

queria tocar a nuvem
não seria capaz.

queria falar o que sinto
inútil, ninguém ouve.

queria dizer, tão somente
amo você, simplesmente.

queria ter a grandeza
de um sonho.

queria que me escutasse
para que entendesse,
contraste.

queria não mais que um segundo
retroceder ao tempo,
parar o relógio.

queria algo possível.
não adianta, ninguém atinge
quem deseja ser o impossível.

queria que o vento levasse
a quem quer que fosse
o desejo de amar.

porém, irreversível
tudo o que  desejo e sinto.

fica  para mim guardado
querer ou não querer
forma absurda de viver.

07/09/2012

Palavras, causa e efeito

imagem: internet

                                                 marisa pompermaier

As palavras não mentem,
rasgam o que o coração sente.
Todavia, desagradam
impactam com a realidade.

E o poeta as tem
sem escolher hora ou momento
alegria  ou lamento,
réplicas do intento.

Voam sem direção,
porta-voz da própria ilusão.
Palavras de quase tudo,
palavras de quase nada.

Ladeadas de distâncias,
delatam dor, inconstância.
E o que fazer sem elas?

Contê-las ou reprimi-las,
se são libertação
ou profunda desilusão?

Precedem uma mudança,
culpa, paz, ressonância.
Brincam com a  alma da gente,
as palavras não mentem.

"É preferível perder-se com elas, a silenciar
eternamente e ser presente"

03/09/2012

Amor Peregrino


                                                                                 imagem: internet

                                       marisa pompermaier

Primavera se anuncia.
no jardim mais uma flor
de cactus principia.

E o filme expõe
todas as cenas,
sem cortes, nem censura.

Expressa ternura
da alma plena
doce candura.

Em ti aportei
decidi, apostei
mundo novo idolatrei
me reinaugurei.

Não cheguei sem pensar.
Esqueci regras
para me dar inteira.

Saí das trincheiras
desbotada e sem vida
Me vestiste toda,
na chegada ou saída.

Amor peregrino,
semeando esperança
um sorriso de criança,
minha face esboçou.


É a terceira primavera
o calendário anotou.
Brincaríamos juntos,
ninguém contou...

O silêncio me devora
coração chora,
por tantos ciclos vividos
a primavera aflora.

02/09/2012

letra e música


                                                                      fonte:dreamstime

                                                                  marisa pompermaier


a melodia da vida
tem métrica
ninguém duvida.

há de estar
em páginas brancas
ou rabiscos coloridos

às vezes irradia luz
estrada conduz
se propaga.

outras, se mescla
entre as facetas 
se confunde com o cometa.

a melodia dispensa
arranjos, ajustes
de última hora

é letra, pura essência
retrato de uma existência
letra e música
se confundem.

e os olhos que não vêem 
o ritmo  oculto
letra transcede.

vai encontrar o poema
ou, o próximo tema
não desiste, incorpora
melodia da vida.

desta, ou de qualquer estação.