05/08/2012


Altas  horas...


            Marisa Pompermaier

O dia se consome
Recolho-me .
Apaziguar-me,
Antes  que o relógio
Ensaie um novo dia.
As cenas do filme
Pensamento a editar...
A lua vestida de festa
Vem me abraçar
E sussurra – deixa passar –
A surdez me invade
E a reprise insiste,
Cada capítulo, uma lágrima
A cor ecoa  a dor
E o  amor¿
Inerte, transparente,
Silencioso...
Será que já foi,
Sem me avisar¿
Achando tudo normal¿
São tantas as horas,
Estacionam, criam raízes
Que tento podar.
já não sou  tão forte...
altas horas decidem ficar


Nenhum comentário:

Postar um comentário