23/07/2012

simplesmente Amor



                           marisa pompemaier


Sinto uma liberdade imensa
 de falar em amor..
 tal qual uma flor
 nasce e cresce sem a ajuda das estações. 
e o encanto, é tanto 
que se perde a noção do tempo
. assim é o amor que sinto por ti.
 não tem parada obrigatória,
 sentido contrário,
 andar na contramão,
 tudo tem sentido e direção.
 corro contra o tempo
 e tu me fazes parar 
diminuo a marcha,
 ali, é meu lugar.










 m u l t i p l i c i d a d e Marisa Pompermaier das coisas efêmeras, guardo passagens daquilo fui, e o que não fui nada mais incomoda. das coisas reais ficou o cheiro da roupa, copo quebrado, porta entreaberta.. das coisas banais, ficou a palavra que fere, o tom alterado, quebrando o silêncio. em cima da mesa, fotografia, bilhete dizia, - "até mais". do sentimento ficou gosto de ocre, imagem apagada sonho desfeito um grito ecoou. na estrada, marcas, pegadas no pó iam sumindo para não deixar vestígios ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário