03/07/2012

P e r c u r s o

                                      by marisa pompermaier

daqueles caminhos
escolho o melhor.
mesmo que não plano,
optei.
se não há vestígios,
prefiro recomeçar
do nada.
deixo atrás da porta
o resto de pó
que sobrou.
descrevê-lo é sapiência,
seu caminho é
de relva ainda úmida,
cheiro de amanhecer,
até se parece
com você.
traz o som silencioso
da esperança.
na face estampa
a ternura que meus olhos
roubam  dos seus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário