23/07/2012

m u l t i p l i c i d a d e







                                                                                                     dewiantart
 Marisa Pompermaier 

das coisas efêmeras,
 guardo passagens daquilo fui,
 e o que não fui nada
 mais incomoda.
das coisas reais ficou
 o cheiro da roupa
 copo quebrado
 porta entreaberta..
 das coisas banais,
 ficou a palavra que fere,
 o tom alterado,
 quebrando o silêncio.
 em cima da mesa, fotografia,
 bilhete dizia, - "até mais".
 do sentimento ficou
 gosto de ocre,
imagem apagada
 sonho desfeito.
 um grito ecoou.
 na estrada, marcas,
 pegadas no pó iam sumindo
 para não deixar vestígios ...
 multiplicidade!
são tantas as facetas.
 são tantas as facetas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário