10/07/2012


Desconforto

                       Marisa pompermaier


Busco mil coisas
Sem saber o quê.           
Para preencher
 o meu descontentamento
nada tem a ver com amor
é algo tempestivo , aparece
se  instala por algum tempo                                 
depois vai embora.
Vejo as coisas em preto e branco
O brilho não existe mais.
Tenho a impressão que peguei
O rumo errado,
Não me acho
Tudo incerto.
Minha referência  é complexa
 Meandros, caminhos sinuosos
Sem saber onde vai dar.
Nessa horas
Sinto-me um extraterrestre
Vivo na sombra
Dos meus próprios
Desenganos.
Repatriar, deportar
Minhas  fraquezas.
Dar uma nova performance
ao visual,   introspectar a razão
Sem esquecer  do coração,
Ainda que  o tempo
inisista

Ma pompermaier

Nenhum comentário:

Postar um comentário